terça-feira, outubro 26, 2021

Concurso «POSTAL DE NATAL 2021»

 




E o que fazem juntos, no final de um dia de trabalho, o coordenador do Clube de Rádio Inês de Castro e dois atores da Companhia de Teatro Bonifrates, docentes no Agrupamento de Escolas Coimbra Oeste?


Para nossa delícia, gravam a leitura expressiva dos poemas "HISTÓRIA ANTIGA" e "NATAL", de Miguel Torga.


E por que razão?...


Porque, como sabes, está chegado o momento de todos os alunos participarem no Concurso "POSTAL DE NATAL"! (ver REGULAMENTO)


Ora o poema "HISTÓRIA ANTIGA", de Miguel Torga, que podes ler aqui , foi escolhido, este ano, como texto inspirador do "Postal de Natal" para os alunos do 2.º CICLO do AECO.



Ouve  AQUI  a sua gravação na voz de Ana Paula Santos.






E  AQUI  na voz de João Paulo Janicas.





O poema “NATAL”, de Miguel Torga, que podes ler aqui , foi escolhido como texto inspirador do "Postal de Natal" para os alunos do 3.º CICLO do AECO.


Ouve  AQUI  a sua gravação na voz de Ana Paula Santos.


Ou então  AQUI , na voz de João Paulo Janicas.



E agora, mãos à obra! Deixamos-te alguns exemplos dos fantásticos trabalhos feitos por alunos da nossa escola, premiados no ano letivo 2020-2021:





BOM TRABALHO!!!


segunda-feira, outubro 18, 2021

«A POESIA É PARA COMER»

 




No âmbito da comemoração do Dia Mundial da Alimentação e numa articulação entre a Biblioteca Escolar, o PES, o ATL e o Clube de CN, os alunos do 7.º A decidiram convidar os alunos do 5.º A e do 6.º A  a com eles saborearem a leitura expressiva de poemas alusivos à alimentação.


Nas aulas de Português e na Biblioteca, prepararam a sua leitura expressiva e, bem perto do Refeitório e do Bar dos Alunos, deram voz aos poetas, homenageando os alimentos, a saúde e o bem-estar que eles nos proporcionam.


Alguns alunos, contagiados pelo ritmo irresistível dos poemas «Armário de especiarias e ervas aromáticas» de Jorge Sousa Braga, e «Bombardeamento Publicitário», de Victor Matos e Sá, resolveram musicá-los. 

O resultado foi fantástico!


Trabalho realizado por uma aluna do 6.º B


Trabalho realizado por um aluno do 6.º A



quinta-feira, junho 24, 2021

E PARA QUE SERVE UMA CADEIRA?

 

Se respondeu "Para nos sentarmos, não?!", este projeto é para si. Com ele se demonstra que uma cadeira serve, sim, para sentar e descansar, mas também para projetar, construir, desenhar, pintar, comunicar, criticar, denunciar, sonhar, partilhar, viajar e... celebrar a alegria de estarmos juntos!



Cartaz elaborado pelo docente Nuno Gaspar
Grande Colégio Universal do Porto



UMA IDEIA, 3 continentes, 17 escolas, 30 professores e 2260 alunos!


Com a pandemia, todos conhecemos, direta ou indiretamente, a experiência do isolamento prolongado e o consequente cansaço que a falta de contacto com os outros provoca em nós. 

Na adversidade deste contexto, surgiu a ideia de criar uma CADEIRA (“chair”), que funcionaria como SÍMBOLO de ESPERA pelo fim desta interminável pandemia que sobre todos nós se abateu. 

Assim nasceu, coordenado pelo docente Fernando Teixeira em articulação com a Biblioteca Escolar Inês de Castro, o projeto "ARTE CHAIR", no qual se convida cada participante a criar um objeto artístico resultante da construção, pintura e/ou aplicação de materiais sobre a maquete de uma cadeira. 


A Escola EB 2.3 Inês de Castro, do Agrupamento de Escolas Coimbra Oeste, lançou o desafio e, até ao momento, já se inscreveram no projeto: 


- Escola do Magistério Comandante Kwenha de Benguela n.º 1124, Angola;


- várias escolas do Brasil: Centro Educacional Giácomo Zommer / Centro Educacional João Custódio Maciel / Grupo de Artes Professora Carolina Monteiro / Aldeias Infantis SOS - EMEF Professora Maria das Graças Andrade Vasconcelos e CMEI Hermann Gmeiner;


- várias escolas portuguesas: Escola EB 2.3 de Taveiro / Escola Secundária D. Duarte / Agrupamento de Escolas de Mafra / Agrupamento de Escolas de Barrancos / Agrupamento de Escolas Eduardo Gageiro / Grande Colégio Universal do Porto / Escola EB1 Almas de Freire / Escola EB1 de São Martinho / Escola EB1 Ribeira de Frades / Escola EB1 de Arrabal.




Aqui ficam algumas das maravilhas criadas pelos nossos alunos!








No final do ano letivo, cada escola fará uma exposição, física ou em formato digital, dos trabalhos dos alunos e selecionará o melhor trabalho de cada escalão (1.º Ciclo| 2.ºCiclo| 3.º Ciclo| Secundário). 

No final do projeto, cada escola participante divulgará uma exposição coletiva dos trabalhos vencedores de todas as escolas.




quinta-feira, junho 17, 2021

Elementos Químicos no Corpo Humano

 

Imagem: m.manualdaquimica.com


No organismo humano, estão presentes vários elementos químicos essenciais para a vida.

Na sequência do que os alunos do 9.º ano aprenderam nas aulas de Ciências Naturais, Físico-Química e Matemática, foi-lhes lançado um desafio, pela professora Susana Bugalho, para que elaborassem um trabalho, em grupo ou individual, de forma a interligar os elementos químicos da Tabela Periódica com os existentes no corpo humano, referindo a percentagem de cada um e a sua função no organismo. 


Foram objetivos desta atividade promover a cultura científica, desenvolver o gosto pela ciência, divulgar a Química como ciência e permitir aos alunos terem a perceção da interdisciplinaridade no currículo.



Vê aqui alguns dos trabalhos elaborados pelos alunos do 9.º E!








E aqui alguns dos trabalhos elaborados por alunos do 9.º C!








E aqui alguns dos trabalhos elaborados por alunos do 9.º D!

















terça-feira, junho 01, 2021

GOSTO, LOGO EXISTO?

 



«Quando nasceste, já estava tudo ligado e nem te parece possível que o mundo funcione de outra forma. No entanto, a internet mudou - e ainda está a mudar - muita coisa no mundo, incluindo o jornalismo.

Através da internet, apareceram gigantes invisíveis como a Google e o Facebook que, não sendo empresas de jornalismo, transformaram a nossa forma de aceder à informação.

Nas redes sociais, as notícias parecem supersónicas e as visualizações, os likes e as partilhas podem chegar aos milhões.

O problema é que os rumores, os boatos e as mentiras também.

Habituámo-nos a receber a informação e a desinformação que nos chega através de algoritmos secretos. Vivemos numa enorme bolha de likes e partilhas. Mas será que conhecemos bem as regras do jogo?

Qual o impacto de tudo isto na nossa relação com o mundo e nas decisões que tomamos?

Este livro acredita que é importante fazer perguntas e que as respostas não estão todas no Google


Planeta Tangerina





Um livro informativo, interrogativo e simultaneamente literário que aborda questões sobre as redes sociais, jornalismo, as fake news, a internet e o verdadeiro valor da informação. 
Um livro pensado para leitores adolescentes (e não só), nativos digitais, conhecedores das mais diversas ferramentas digitais, mas nem sempre leitores críticos e reflexivos. 
Este é um livro para quem “acredita que é importante fazer perguntas e que as respostas não estão todas no Google.” 
Uma verdadeira lição de literacia mediática.

[Resumo da responsabilidade do Plano Nacional de Leitura 2027]











quinta-feira, maio 13, 2021

VIAGEM À VOLTA DO MEU QUARTO…

 




Xavier de Maistre, no final do séc. XVIII, escreveu a obra Viagem à Volta do Meu Quarto, relato autobiográfico de um jovem oficial que, detido no quarto durante seis semanas, observa a mobília, os quadros e a decoração como se fossem paisagens de uma terra longínqua, enaltecendo, assim, este novo método de viajar. 

Xavier de Maistre sabia bem que, na viagem, mais importante do que o destino é o viajante...


A certa altura, diz-nos o autor:


»Quando viajo no meu quarto, raramente percorro uma linha reta: vou da mesa até um quadro que está colocado a um canto; daí parto em diagonal até à porta; mas ainda que, ao partir, a minha intenção seja a de me dirigir para lá, se encontro a poltrona no caminho não estou com cerimónias e instalo-me de imediato nela.»



Os alunos do 6.º A, por certo, ainda não leram este livro, contudo também eles viajaram à volta do seu quarto, do seu refúgio, ao desenvolverem, sob orientação do professor Fernando Teixeira, a atividade O MEU QUARTO, A MINHA FRONTEIRA, tema desenvolvido na disciplina de Educação Visual, no âmbito da 3.ª edição do Projeto Criar com Escolas do Serviço Educativo do Portugal dos Pequenitos.


Aqui ficam alguns dos trabalhos realizados pelos alunos no âmbito deste projeto:




A. S. | Yummy cats sanctuary




T. A | Um sonho por dia dá saúde e alegria





R. S. | O quarto da guitarra da fúria





D. O. | Quarto, doce quarto





J. L | Gold





M. B.| Que os deuses te abençoem, meu quarto






M. J. M. | Meu quarto de sonho






F. C. | A outra câmara dos segredos





C. G. | O quarto perfeito





R. O. | O meu lar de alegria



S. A. | Meu quarto de sonho























Cartaz realizado pela professora Raquel Sebastião


“O meu quarto, a minha fronteira”


Este trabalho ajudou-me a perceber como os arquitetos e engenheiros executam os seus trabalhos. Comecei por fazer um esboço das minhas ideias. Depois construí uma régua de escala 1/20, em cartão, que me foi muito útil para fazer medições à escala.

Com este trabalho aprendi a construir a imagem de um homem à escala 1/20 em cartão e a registar numa folha as medidas e desenhos de mobiliário do meu quarto.

A primeira vez que dei uso à régua foi para passar as medidas que tirei dos móveis para a escala 1/20, para depois passar para uma folha de papel quadriculado. Também registei numa folha as medidas de portas, janelas e de espaços do meu quarto e desenhei em planta o mobiliário do meu quarto numa folha de papel quadriculado. De seguida, passei para o papel vegetal a minha planta.

Para fazer a base da minha maquete, imprimi o papel vegetal, recortei (por fora das paredes) e colei sobre um cartão. Depois construí as paredes e os móveis, tendo aprendido que tipos de colas e tintas se aplicam a cada material (esferovite, cartão, tecido, …).

Este trabalho foi muito mais do que um trabalho para a avaliação, um concurso ou mesmo para estar exposto, pois permitiu promover a aprendizagem e uma experiência de vida para o meu futuro e de todos os que realizaram este trabalho.



Relatório final do aluno R. F. S. | n.º 21 | 6.º A