Biblioteca Viva

domingo, 20 de junho de 2010

A AVENTURA DA ESCRITA

As Aventuras da Rosalina e do Joaquim é o título do conto nascido a partir de um desafio proposto pela Professora Alice Beja, no âmbito do Plano Nacional de Leitura.
Ocorreu à docente solicitar ao aluno António Bernardo Páscoa, que frequenta o 3.º ano de uma Escola do nosso Agrupamento, o desenho de uma mala, da qual poderiam sair diversos objectos. O desenho foi concebido e criadas duas personagens, em torno das quais veio a desenvolver-se um conjunto de fantásticas aventuras.
A primeira turma iniciou a aventura que foi evoluindo ao sabor da imaginação e fantasia dos alunos de todas as outras turmas do 3.º ano. Depois da viagem efectuada por seis escolas, aqui fica o resultado final, composto por texto e ilustração, fruto do desenvolvimento de competências de leitura e escrita de um grupo de alunos que tiveram a preciosa colaboração das suas professoras: Ana Lúcia Neves, Ângela Pires, Cecília Aguiar, Eugénia Elvas, Filomena Gama e Sílvia Costa.


sexta-feira, 11 de junho de 2010

PARABÉNS AOS NOSSOS LEITORES!

No mês de Maio, os alunos que mais livros requisitaram na nossa Biblioteca foram os seguintes:

MUITOS PARABÉNS A TODOS!

E foram estas as obras mais requisitadas no mês de Maio:

Melhores leitores? Obras mais requisitadas?
Vejamos como tudo se passou desde Janeiro…


terça-feira, 8 de junho de 2010

ESCOLA PARA QUÊ?

No âmbito da disciplina de História, alguns alunos da turma C do 9.º ano realizaram trabalhos de pesquisa sobre o Estado Novo. Um dos grupos entendeu que a concretização desse trabalho deveria passar pela organização de uma exposição de documentos e realização de uma sessão na Biblioteca da Escola, para a qual convidaram a professora Lurdes Santos, docente que os acompanhou ao longo de todo o 1.º Ciclo, e o professor João Ferreira, docente da disciplina de História nos 7.º e 8.º anos. Foi assim que, no dia 4 de Junho, pelas 15 horas, antigos professores e actual docente da disciplina responderam a todas as perguntas colocadas pelos alunos, que assim viram esclarecidas algumas das suas dúvidas acerca deste longo período da vida do nosso país.



Um dos aspectos mais curiosos da sessão resultou da leitura expressiva de textos seleccionados pelos manuais adoptados nesse período, poderosos e eficazes veículos de difusão da ideologia vigente.

No final da sessão, um dos alunos leu um excerto da obra Do Cinzento ao Azul Celeste, escrita por Ana Oliveira e magnificamente ilustrada por Helena Veloso, editada em Abril de 2009.





Esta obra conta-nos uma aula dos nossos dias, junto de alunos para quem a escola é “uma seca”, durante a qual a professora lhes narra uma história.

«Era uma vez o país do silêncio. Era uma vez um povo infeliz. Um país mergulhado na ignorância e no analfabetismo. Um povo proibido de pronunciar certas palavras, destruídas pelo lápis azul da censura, para não serem usadas: democracia, liberdade, igualdade…
Muitos meninos e meninas queriam ir à escola, mas só alguns tinham esse privilégio. […] Estudar era um luxo.»

A páginas tantas, a professora ganha coragem e exclama:

«Escola? Não, obrigado!
A escola não é necessária. Escola para quê?
Pessoas que vão à escola aprendem a ler.
Pessoas que lêem sabem mais!
Pessoas que sabem mais contestam.
Pessoas que contestam incomodam.
Pessoas que incomodam provocam mudança.
E mudança é coisa que uma ditadura não quer.»


Parabéns a alunos e professores por esta magnífica aula!

terça-feira, 1 de junho de 2010

O PRODIGIOSO DOM DA ALEGRIA QUE MORA NAS CRIANÇAS…

No dia 26 de Maio, pelas 14 horas, a Biblioteca do Agrupamento recebeu a visita de 45 alunos do 4.º ano da EB1 de Almas de Freire. À espera deles encontravam-se a Inês Simões, a Patrícia Henriques e o Pedro Silva, alunos do 9.º ano e excelentes leitores de contos. Começaram por se apresentar aos colegas mais novos e estes, por sua vez, responderam prontamente a todas as questões que lhes foram colocadas.
A excelente leitura dramatizada do conto “O vampiro que bebia groselha”, de Luísa Ducla Soares, permitiu-nos conhecer a invulgar e edificante história de vampirinho e toda a sua vampiresca família.


António Torrado foi o autor de três outras magníficas narrativas contadas pelos três magníficos: “A minha rica lã” (a história de uma inconsolável ovelha que exige de volta a sua lã), “À roda da Lua” (a proveitosa demonstração de como, há muitas e muitas centenas de anos, os velhos e sábios mandarins estiveram quase, mesmo quase a ir à Lua) e “Bolacha Maria” (o drama de uma bolacha Maria que, descontente com a sua sorte, exigia ser tratada por Dona Maria Emília de Melo e Sousa Trigo de Reboredo Farinha).


O conto O rapaz que tinha medo, escrito por Mathilde Stein e ilustrado por Mies van Hout, foi-nos dado a conhecer pelo professor Nelson, um exímio contador de histórias. Com ele, rimos e tememos o pior… Felizmente, o final desta deliciosa história mostra-nos que do outro lado do medo fica a liberdade e que nos cabe a nós procurá-la.



Os alunos de Almas de Freire quiseram, então, trocar presentes. Uma das turmas apresentou a belíssima declamação de três poemas. A outra turma, igualmente inspirada, ofereceu a todos um momento único: a Maria João Silva cantou o poema por si musicado “Canção da Estrada Larga” (da obra Espanta-Pardais, de Rosa Colaço) e toda a turma a acompanhou.
Foi um momento mágico!