Biblioteca Viva

terça-feira, 29 de março de 2011

TODO O TEMPO É DE POESIA

Porque todo o tempo é de poesia, na tarde do dia 22 de Março, os alunos da turma 18 da EB1 de Fala vieram à Biblioteca do Agrupamento, trazendo consigo a música dos admiráveis poemas que escreveram sobre temas tão variados como a escola, os livros, a natureza, os sonhos, o passado, o presente, o futuro… A título de exemplo, aqui ficam os textos da Joana Martins e do Tomás Correia:


A caixinha de música

Eu tenho uma caixinha de música
Com uma bailarina num pé
Roda sem se cansar
E eu passo horas a olhar.

De repente, já não é ela
Sou eu …
Num palco de fantasia
A bailarina toma vida e sorri.

Rodopiando vai saltando
Sempre sem parar.
Aplausos e rosas
No palco vão estar.

Já não sou eu, é ela…
Do palco para o meu quarto
A bailarina faz uma vénia.
Na sua caixinha, cansada, adormece.

                                                                       Joana Filipa dos Santos Martins
                                                                                  4º Ano/ Turma 18- E.B.1 de Fala


A Árvore

Eu tenho uma árvore no meu jardim,
Com um baloiço feito de marfim.
Eu tenho uma árvore no meu quintal,
Tudo eu faço, mas tudo acaba mal.
Eu tenho uma árvore ao pé da minha casa,
Eu, para lhe chegar, ponho uma asa.
Eu tenho uma árvore ao pé da minha escola,
Ela faz de baliza a jogar à bola.

Tomás Gabriel Monteiro Correia 
4º Ano/ Turma 18- E.B.1 de Fala


Esperava-os o magnífico poema «Canção da Estrada Larga», de Maria Rosa Colaço, musicado pelos alunos do 5.º C.



Canção da Estrada Larga

Estamos na Estrada Larga,
foi tão bom aqui chegar!
Amigos e companheiros
vamos todos festejar.

Olhando a estrela bonita
dos campos da liberdade
amigos e companheiros
semeámos felicidade.

Todos de mãos unidas
nos caminhos da alegria
alargámos nossas vidas
cantemos o novo dia.

Se todos o desejarem
se o mundo todo quiser,
a Estrada Larga é aqui
onde a quisermos fazer.


Professora:

Já acabou esta estória
e nós vamos descansar.
Adeus, meninos, adeus,
não se esqueçam de a contar.

Maria Rosa:

Adeus, meninos, adeus,
nunca deixem de sonhar!

Maria Rosa Colaço, Espanta-Pardais


Aqui ficam as fotografias da festa da Poesia!


Sem comentários:

Enviar um comentário