segunda-feira, 20 de julho de 2020

GRETA THUNBERG vence Prémio Gulbenkian para a Humanidade


Fotografia de M. Wilson


«A jovem ativista sueca Greta Thunberg venceu o Prémio Gulbenkian para a Humanidade, no valor de um milhão de euros, que quer distinguir projetos inovadores dedicados às alterações climáticas. É a primeira edição de uma distinção que quer recompensar “novas ideias que contribuam para melhorar o futuro do planeta”. Este ano, na sua primeira edição, o prémio é dedicado às alterações climáticas. Foram recebidas 136 candidaturas. Greta Thunberg deverá viajar até Lisboa para a cerimónia oficial de entrega deste prémio que, ao contrário de outros que lhe foram atribuídos antes, aceitou receber.

Num vídeo gravado, a jovem sueca agradeceu o prémio e anunciou que o milhão de euros será doado, através da fundação com o seu nome, a diferentes organizações e projetos que tentam neste momento dar resposta à crise climática e ecológica. São ações, disse ainda, que “lutam por um mundo sustentável e para proteger o mundo natural”. De acordo com um comunicado da Gulbenkian, a Fundação Thunberg "começará por doar os primeiros 200 mil euros à SOS Amazonia campaign, da Fridays for Future Brazil, que combate a Covid-19 na Amazónia, e à Stop Ecocide Foundation para tornar o ecocídio um crime internacional”.

A jovem sueca ficou conhecida por ter dado início a um movimento global de combate às alterações climáticas. Em 2018, Greta – que tem agora 16 anos – faltou às aulas para acampar em frente do parlamento sueco, segurando uma placa onde se lia “Skolstrejk för klimatet” (“Greve escolar pelo clima”). Atualmente, o movimento Fridays for Future, nascido desta luta solitária, junta milhões de jovens em todo o mundo em greves climáticas. […]»


in PÚBLICO, 20 de julho de 2020





Sem comentários:

Publicar um comentário